quarta-feira, 30 de junho de 2010

PENSAMENTOS

“Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude e se há algum louvor, nisso pensai.”

[Paulo - Filipenses 4:8]


Todas as obras humanas constituem a resultante do pensamento das criaturas.

O mal e o bem, o feio e o belo viveram, antes de tudo, na fonte mental quê os produziu, nos movimentos incessantes da vida.

O Evangelho consubstancia o roteiro generoso para que a mente do homem se renove nos caminhos da espiritualidade superior, proclamando a necessidade de semelhante transformação, rumo aos planos mais altos.

Não será tão-somente com os primores intelectuais da Filosofia que o discípulo iniciará seus esforços em realização desse teor.

Renovar pensamentos não é tão fácil como parece à primeira vista.

Demanda muita capacidade de renúncia e profunda dominação de si mesmo, qualidades que o homem não consegue alcançar sem trabalho e sacrifício do coração.

É por isso que muitos servidores modificam expressões verbais, julgando que refundiram pensamentos.

Todavia, no instante de recapitular, pela repetição das circunstâncias, as experiências redentoras, encontram, de novo, análogas perturbações, porque os obstáculos e as sombras permanecem na mente, quais fantasmas ocultos.

Pensar é criar.

A realidade dessa criação pode não exteriorizar-se, de súbito, no campo dos efeitos transitórios, mas o objeto formado pelo poder mental vive no mundo íntimo, exigindo cuidados especiais para o esforço de continuidade ou extinção.

O conselho de Paulo aos filipenses apresenta sublime conteúdo.

Os discípulos que puderem compreender-lhe a essência profunda, buscando ver o lado verdadeiro, honesto, justo, puro e amável de todas as coisas, cultivando-o, em cada dia, terão encontrado a divina equação.


Fonte: Do livro: "Pão Nosso" - Emmanuel/Chico Xavier

NOSSO LAR O FILME - ESTREIA 03 DE SETEMBRO


SINOPSE

Ao abrir os olhos, o médico André Luiz sabe que não está mais vivo - embora sinta fome, sede, frio, ele percebe que não pertence mais ao mundo dos encarnados.

Ao seu redor, uma planície escura, desértica, tenebrosa, marcada por gritos e seres que vivem à sombra. As dúvidas e as dores intensificam-se.

Que destino seria esse?

A trajetória deste médico bem-sucedido pelo mundo espiritual é a história de -Nosso Lar-. Após o sofrimento nas zonas purgatórias, ele é resgatado e levado para uma cidade espiritual que paira nas camadas mais altas da atmosfera terrestre.

Novas lições e conhecimentos, marcados ainda por momentos de dor e sofrimento, estão no caminho deste homem, que, aprende como é a vida em outra dimensão, também anseia em voltar à Terra e rever a família. Só que, ao conseguir ver seus entes queridos, André Luiz percebe a grande verdade - a vida continua para todos.

A PRODUÇÃO

Nosso Lar é um filme adaptado da obra de Francisco Cândido Xavier, ditada pelo espírito André Luiz, publicada originalmente em 1944. O filme é uma das maiores produções cinematográficas brasileiras da história que reúne grandes nomes do cinema internacional como o compositor Philip Glass, o diretor de fotografia Ueli Steiger e empresa de efeitos visuais canadense Intelligent Creatures. O filme é co-produzido e distribuído pela Fox Film do Brasil e tem sua estréia marcada para 3 de setembro de 2010 no Brasil.

O LIVRO

O livro Nosso Lar está em sua 60º edição no Brasil e já vendeu cerca de 2 milhões de exemplares (somando mais de 16 milhões de leitores). O livro foi traduzido para Inglês, Alemão, Francês, Espanhol, Esperanto, Russo, Japonês, Castelhano, Tcheco, Braile e Grego, e é um dos campeões de venda da literatura espírita – considerado como um dos 10 melhores do século XX.

Produção Cinética Filmes
Co-produção Migdal Filmes, Globo Filmes e Fox Film do Brasil
Distribuição Fox Film do Brasil
Apoio Banco BRJ e FEB
Roteiro e Direção Wagner de Assis
Produzido por Iafa Britz
Produção Executiva Luiz Augusto de Queiroz e Elizabeth Marinho Dias
Trilha Sonora Original Philip Glass
Direção de Fotografia Ueli Steiger A. S.C.
Direção de Arte Lia Renha
Efeitos Visuais Intelligent Creatures, Canadá
Co-produção Executiva Luiz Cláudio Barbosa

ELENCO

RENATO PRIETO como André Luiz, FERNANDO ALVES PINTO, ROSANNE MULHOLLAND, INEZ VIANA, RODRIGO DOS SANTOS, WERNER SCHÜNEMANN, CLEMENTE VISCAÍNO PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: ANA ROSA, OTHON BASTOS e PAULO GOULART



Fonte: Boletim Eletrônico da FEB

terça-feira, 29 de junho de 2010

TU E TUA CASA



"E eles disseram: Crê no Senhor Jesus-Cristo, e serás salvo, tu e a tua casa."

[Atos, 16:31]


Geralmente, encontramos discípulos novos do Evangelho que se sentem profundamente isolados no centro doméstico, no capítulo da crença religiosa.

Afirmam-se absolutamente sós, sob o ponto de vista da fé.

E alguns, despercebidos de exame sério, tocam a salientar o endurecimento ou a indiferença dos corações que os cercam.

Esse reporta-se à zombaria de que é vítima, aquele outro acusa familiares ausentes.

Tal incompreensão, todavia, demonstra que os princípios evangélicos lhes enfeitam a zona intelectual, sem lhes penetrarem o âmago do coração.

Por que salientar os defeitos alheios, olvidando, por nossa vez, o bom trabalho de retificação que nos cabe, no plano da bondade oculta?

O conselho apostólico é profundamente expressivo...

No lar onde exista uma só pessoa que creia sinceramente em Jesus e se lhe adapte aos ensinamentos redentores, pavimentando o caminho pelos padrões do Mestre, aí permanecerá a suprema claridade para a elevação.

Não importa que os progenitores sejam descrentes, que os irmãos se demorem endurecidos, nem interessam a ironia, a discussão áspera ou a observação ingrata.

O cristão, onde estiver, encontra-se no domicílio de suas convicções regenerativas, para servir a Jesus, aperfeiçoando iluminando a si mesmo.

Basta uma estaca para sustentar muitos ramos.

Uma pedra angular equilibra um edifício inteiro.

Não te esqueças, pois, de que se verdadeiramente aceitas o Cristo e a Ele te afeiçoas, serás conduzido para Deus, tu e tua casa.


Fonte: Do livro “Vinha de Luz” - Emmanuel / Chico Xavier

NOSSO LAR ESTÁ ENTRE OS LIVROS MAIS VENDIDOS


Há quase 3 meses, mais especificamente 11 semanas, o livro Nosso Lar está entre os 5 livros mais vendidos no Brasil, segundo ranking divulgado pela revista Veja e pelo Jornal do Brasil.

Acredita-se que o sucesso de vendas neste período se dá pela proximidade do lançamento do filme baseado na história narrada por André Luiz e psicografada pelo médium Chico Xavier.

A Federação Espírita Brasileira disponibiliza a compra da obra pelo site da sua livraria: http://www.feblivraria.org.br/



Fonte: Boletim Eletrônico da FEB

COMEMORAÇÃO DO DIA MUNICIPAL DO ESPÍRITA EM SÃO PAULO

A Câmara Municipal de São Paulo recebe José Medrado e grandes expoentes da Doutrina Espírita para a realização de palestras comemorativas sobre o “Dia Municipal do Espírita” e o centenário do médium Chico Xavier.

O salão nobre da Câmara recebe seus convidados no dia 30 de junho às 19hs.


Fonte: Boletim Eletrônico da FEB

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA O I CONJURESP

Após dois anos de fundação, a Associação Jurídico-Espírita do Estado de São Paulo realizará o I CONJURESP (Congresso Jurídico-Espírita do Estado de São Paulo).

O evento reunirá operadores do direito e interessados em geral, com o fim de discutir Ética, Justiça e Espiritismo.

Expositores de todo o país já estão com presenças confirmadas.

Ribeirão Preto-SP será a sede do I CONJURESP, que ocorrerá nos dias 22 e 23 de outubro, nas Faculdades COC.

Inscrições abertas.

Mais informações no site: www.ajesaopaulo.com.br


Fonte: Boletim Eletrônico da FEB

CICLO DE PALESTRAS MENSAIS DA AME - SP

“Darwin ou Lamark: Como explicar nossa evolução à luz da ciência atual?” é o tema central da palestra ministrada pela Dra. Cristiane Ribeiro de Assis, membro da Associação Médico- Espírita de São Paulo.

O evento que está marcado para quarta-feira, dia 30 de junho na sede da Associação, abre o ciclo de palestras mensais da AME e tem como foco “A Evolução em Dois Mundos – A Evolução Física e Moral das Espécies”.

Mais informações no site: www.amesaopaulo.org.br


Fonte: Boletim Eletrônico da FEB

domingo, 27 de junho de 2010

AGENDA REFORMA ÍNTIMA - 7ª SEMANA


Meta do Mês: Desenvolver a Caridade Moral


"Ele, o justo por excelência, responde a Pedro: Perdoarás, mas ilimitadamente; perdoarás cada ofensa tantas vezes quanto ela te for feita."

[O Evangelho Segundo o Espiritismo, cap X, item 14]


Meta da Semana: Desenvolver o Perdão das Ofensas


Como: Perante as ofensas, elimine do coração toda a mágoa e o rancor.


Sugestão de prece diária: Prece rogando estímulo para combater a mágoa e o rancor.


"Pois os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas o que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito".

[Paulo - Romanos, 8:5]


Exercicío da semana: Quadro de defeitos e virtudes

Realize o exercício em uma folha de papel (de preferência sua agenda ou um caderno só para esses exercícios).

* Liste 3 defeitos nascidos dos egoísmo e que estão impedindo o seu progresso moral.

* Liste, na mesma folha, 3 virtudes filhas da Caridade que você procurará exercitar a benefício de sua reforma íntima!

E PARABÉNS pela disposição em cultivar essas virtudes!
Pois elas, naturalmente, o auxiliarão a crescer cada dia mais, rumando para a perfeição!

Uma excelente semana para todos!!!

Equipe de divulgação do Lar da Caridade

PROGRAMA TRANSIÇÃO - 27/06


Neste domingo, 27/06, PROGRAMA TRANSIÇÃO traz como convidado:


RAUL TEIXEIRA


Tema: Virtude

Apresentação: Del Mar Franco


O programa é exibido todos os Domingos às 15:15hs na Rede TV (Parabólica, Tv, Cabo e SKY)

Para quem não possui antena, pode assistir os vídeos no site:

http://www.programatransicao.tv.br/

sexta-feira, 25 de junho de 2010

PEÇA HÁ 2000 ANOS SERÁ ENCENADA EM ROMA


- RETORNANDO À ARENA ROMANA -


Grupo teatral de Belo Horizonte vai encenar em Roma “Há 2000 anos”, adaptação de psicografia de Chico Xavier / Emmanuel

Ano 31 da era cristã. O senador romano Públio Lentulus, homem orgulhoso de sua posição social e pai zeloso, fica desesperado com a doença de diagnóstico impreciso de sua filha, Flávia Lentúlia. Decide, então, viajar com a filha e a esposa, Lívia, para Cafarnaum, na Galileia, em busca de ares mais frescos para a recuperação da saúde de Flávia. Lá, encontram um homem que realiza curas e milagres. Seu nome era Jesus.

Esse é o mote do romance épico "Há 2000 anos", psicografado por Chico Xavier e ditado pelo espírito Emmanuel, que descreve a sua própria existência em uma vida pregressa como Públio Lentulus.

O romance foi adaptado para o teatro por Berenice Brandão Andrade, que também é a diretora do espetáculo e, há 25 anos, atua na Fundação Caminho Verdade e Vida, que promove atividades culturais e educacionais voltadas para a saúde do corpo e da mente.

A peça estreou em abril de 2003 e já percorreu grandes teatros do país, sempre com lotação esgotada. "Estimamos que, pelo menos, 50 mil pessoas já assistiram ao espetáculo", contabiliza Mariângela Duarte, atriz do grupo e que dá vida a Cláudia, esposa de Pôncio Pilatos.

A trupe de 102 atores já está de malas prontas para se apresentar no dia 31 de julho em Roma, em local que será definido ainda nesta semana. "A ideia de levar o espetáculo para a capital italiana deve-se ao fato de que a cidade foi palco de acontecimentos históricos marcantes, conhecidos mundialmente e retratados no enredo de ‘Há 2000 Mil Anos’. Esse é um espetáculo relevante pela profundidade de suas mensagens, pela beleza visual e pela aquisição cultural, enfocando a renovação de valores morais em clima de emoção e espiritualidade que independe de raça, crença, cor, igreja, rótulo religioso ou nacionalidade", defende Mariângela.

A diretora Berenice Brandão diz que a história começa e termina em Roma, passando por Jerusalém. "A peça retrata com graça e leveza os costumes do Império Romano, a passagem comovente dos cristãos de há 2000 anos que, despidos de qualquer indumentária religiosa, atravessaram os portões da grande arena do Circo Massimo, revelando ao mundo uma fé extraordinária. Com a peça, buscamos a conscientização de que a nobreza de caráter e a honradez humana, aliadas a uma fé operante, promovem o clima necessário à evolução de um povo".

E prossegue: "Abrangendo todas as faixas etárias, é uma arte que educa e esclarece, pois agrega à sociedade o valor da formação moral dignificada pelo exemplo, metodologia efetiva de educação que ultrapassa o campo das palavras e adota o princípio da ação".

A diretora ressalta que os atores se orientam na vida pelos preceitos da doutrina espírita, "seguindo o roteiro sagrado de Jesus Cristo, em comunhão com todas as igrejas, filhas de uma origem comum: nosso único Deus, nosso Pai de amor e bondade". E talvez seja essa a fórmula responsável pelo sucesso da peça, que tem atraído um público eclético e sem preconceitos religiosos. "Observamos que o interesse ultrapassa as fronteiras das crenças, revelando a sede do público por espetáculos singulares e que abordem os exemplos e valores morais que devem nortear a vida de todos", pontua Mariângela.

Mais informações sobre "Há 2000 anos": brasil.italia.fcvv@gmail.com.

A montagem foi aprovada pela Lei Federal de Incentivo à Cultura e a equipe busca parcerias com empresas ou pessoa física para a viagem para Roma.

Os números da fé

A peça "Há 2000 anos" já foi vista por mais de 50 mil pessoas. No palco, 102 atores dão vida ao romance épico narrado pelo espírito Emmanuel ao médium Chico Xavier.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o país tem o maior número de espíritas no mundo: são 2,3 milhões, perdendo apenas para os católicos.

Mensagem psicografada por Berenice Brandão em abril de 2003

"Alma querida,

... Fomos juntos ao Tiberíades no entardecer formoso, adentramos as catacumbas da fé, estivemos aos pés do madeiro luminoso; fizemos orações, recordamos o olhar doce do Mestre, desejamos o toque carinhoso de suas mãos e reverenciamo-Lo a cada palmo da avenida da nossa recordação.

Empolgaste-te por um passado de fé, de sofrimento, de luzes e de muito amor. Hoje, alma querida, levas com graça infinita, a outros irmãos, as luzes e as emoções do Evangelho do nosso meigo Senhor. Foste ao passado colher ensinamentos, revelando-te alma amiga e atenciosa; entraste na intimidade da manjedoura, estiveste diante da cruz majestosa. Choraste junto de Públio, conheceste Simeão; abraçaste Paulo e Abigail, admiraste Estevão como irmão. Reverenciaste Kardec, o grande amigo de Jesus. Tua alma quase não coube em si ao louvar
a Terra de Santa Cruz.

A fé que te move o coração será alavanca impulsionadora que libertará corações descrentes".

Lívia, mulher de Públio Lentulus



Fonte: "O Tempo" / Coluna Espírita 180Graus

SOS AOS DESABRIGADOS DE PERNAMBUCO

Nós espíritas, estamos sendo convidados a colaborar com as ações em favor de nossos irmãos vítimas das enchentes que acometeram o estado de Pernambuco, notadamente nos municípios da Mata Sul, onde cidades como Palmares, Água Preta, Cortês, Escada e outras, foram praticamente destruídas pelas águas.

Segundo o Governo do Estado de Pernambuco, no total são 13 municípios mais atingidos.

A Federação Espírita Pernambucana está engajada no Comitê Ecumênico formado por entidades religiosas e civis que apóiam o governo estadual interagindo com a sociedade no intuito de arrecadar donativos para nossos conterrâneos.

Enviem e-mails para suas suas listas de distribuição para que formemos uma rede de relacionamento poderosa no intuito de que uma imensa corrente do Bem seja formada e ajude nossos irmãos a retomarem suas vidas com a dignidade merecida.

A Federação Espírita Pernambucana é um dos pontos de coleta de doações.

Informações:

ednarsantos.br@gmail.com
http://www.federacaoespiritape.org/



Fonte: Boletim Eletrônico da FEB

A CIDADE DO ESPIRITISMO

"Uberaba: a cidade do Espiritismo"

Com esse título, a matéria publicada na Revista Veja abordou o crescente número de espíritas na cidade mineira que recebe ,ainda, grande número de visitantes que buscam a comunicação com entes desencarnados.

Destaca a figura do médium Chico Xavier que lá viveu e onde se tornou conhecido por sua personalidade ímpar de caridade e amor.

Confira a matéria na íntegra: www.febnet.org.br/site/comunicacao.php


Fonte: Boletim Eletrônico da FEB

FEB NO CONSELHO NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

A Federação Espírita Brasileira foi eleita membro titular do Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS).

Representando-a, tomou posse no dia 21 de junho o confrade Clodoaldo Leite.

Informações: diretoria@febnet.org.br


Fonte: Boletim Eletrônico da FEB

DIVALDO FRANCO NA EUROPA

Divaldo Pereira Franco, acompanhado de Nilson de Souza Pereira, cumpriu programa de palestras e seminários durante 43 dias, em maio e junho, por 26 cidades de 12 países da Europa.

Informações: http://www.mansaodocaminho.com.br/


Fonte: Boletim Eletrônico da FEB

quarta-feira, 23 de junho de 2010

MALEDICÊNCIA


Maledicência é o ato de falar mal das pessoas.

Definição bem amena para um dos maiores flagelos da Humanidade.

Mais terrivel do que uma agressão fisica.

Muito mais do que o corpo, fere a dignidade humana, conspurca reputações, destrói existências.

Mais insidiosa do que uma epidemia, na forma de boato - eu "ouvi dizer" - alastra-se como rastilho de pólvora. Mera visão pirotécnica em princípio:

"Ele paga suas contas com atraso" ou "Ela sai muito de casa".

Depois, explosiva:

"Ele é um ladrão! " ou "Ela está traindo o marido!"

Arma perigosa, está ao alcance de qualquer pessoa, em qualquer idade, e é muito fácil usá-la: basta ter um pouco de maldade no coração.

Tribunal corrupto, nele o réu está, invariavelmente, ausente. É acusado, julgado e condenado, sem direito de defesa, sem contestação, sem misericórdia.

Tão devastadora e, no entanto, não implica nenhum compromisso para quem a emprega. Jamais encontraremos o autor de um boato maldoso, de uma "fofoca” comprometedora. O maledicente sempre "vende" o que "comprou".

Ninguém está livre dela, nem mesmo os que se destacam na vida social pela sua capacidade de realização, no setor de suas atividades. Estes, ao contrário, são os mais visados. Nada mais gratificante para o maledicente do que mostrar que "fulano não é tão bom como se pensa".

Não há agrupamento humano livre da maledicência.

Está presente mesmo onde jamais deveria haver lugar para ela: em instituições inspiradas em ideais religiosos de serviço no campo do Bem.

Quando se manifeste nessas comunidades, infiltrando-se pela invigilância de companheiros desavisados, que se fazem agentes do Mal, é algo profundamente lamentável, provocando o afastamento de muitos servidores dedicados e aniquilando as mais promissoras esperanças de realização espiritual.

Nem mesmo o Cristo, inspiração suprema desses ideais, esteve livre dela.

Exemplo tipico de seu poder infernal foi o comportamento da multidão, que reverenciou Jesus na entrada triunfal, em Jerusalém; no entanto, poucos dias depois, instigada pela maledicência dos sacerdotes judeus, festejou sua crucificação, cercando a cruz de impropérios e zombarias.

A maledicência tem sua origem, sem dúvida, no atraso moral da criatura humana.

Intelectualmente, a Humanidade atingiu culminâncias. Chegamos à Lua, desintegramos o átomo.

Moralmente, entretanto, somos subdesenvolvidos, quase tão agressivos e inconsequentes como os habitantes das cavernas, e, se o verniz de civilidade nos impede de usar a clava, usamos a língua, atendendo a propósitos de auto-afirmação, revide, justificação ou pelo simples prazer de atirar pedras em vidraças alheias.

Não se dá conta aquele que se compraz em criticar a vida alheia, que a maledicência é um ato de autofagia (condição do animal que se nutre da própria substância, que come o próprio corpo).

O maledicente pratica a autofagia moral.

A má palavra, o comentário desairoso contra alguém geram, no autor, um clima de desajuste íntimo, em que ele perde força psíquica e se autodestrói moralmente, envenenando-se com a própria maldade.

Por isso, pessoas que se comprazem nesse tipo de comportamento são sempre inquietas e infelizes.

Jesus adverte que o maldizente fatalmente será vítima da maledicência, quer porque onde estiver criará ambiente propício à disseminação de seu veneno, quer porque a Vida o situará, inelutavelmente, numa posição que o sujeitará a críticas e comentários desairosos, a fim de que aprenda a respeitar o próximo.

Deixando bem claro que a ninguém compete o direito de julgar, o Mestre recomenda que, antes de procurarmos ciscos no olho de nosso irrnão, tratemos de remover a lasca de madeira que repousa, tranquila, no nosso.

Se possuímos incontáveis defeitos, se há tantas tendências inferiores em nossa personalidade, por que o atrevimento de criticar o comportamento alheio?

E há os estudos de Psicologia que oferecem uma dimensão bem maior ao ensinamento evangélico.

Admitem hoje os psicólogos que tendemos a identificar com facilidade nos outros o que existe em abundância em nós.

O mal que vemos em outrem é algo do mal que mora em nosso coração.

Por isso, as pessoas virtuosas, de sentimentos nobres, são incapazes de enxergar maldade no próximo.

É preciso, portanto, treinar a capacidade de enxergar o que as pessoas teem de bom, para que o Bem cresça em nós.

O primeiro passo, dificil mas indispensável, é "minar a maledicência."

Um recurso valioso para isso é usar os três crivos, segundo velha lenda de origem desconhecida, que vários escritores atribuem a Sócrates, lembrada pelo Espírito Irmão X, psicografia de Francisco Cândido Xavier, em mensagem publicada pela revista "Reformador", no mês de junho de 1970:


"Certa feita, um homem esbaforido achegou-se ao grande filósofo e sussurrou-lhe aos ouvidos:

- Escuta, Sócrates... Na condição de teu amigo, tenho alguma coisa de muito grave para dizer-te, em particular...

- Espera!... - ajuntou o sábio, prudente. Já passaste o que me vais dizer pelos três crivos?

- Três crivos? - perguntou o visitante, espantado.

- Sim, meu caro, três crivos. Observemos se a tua confidência passou por eles. O primeiro é o crivo da verdade. Guardas absoluta certeza quanto aquilo que me pretendes comunicar?

- Bem - ponderou o interlocutor -, assegurar, mesmo, não posso... Mas, ouvi dizer e...então...

- Exato. Decerto peneiraste o assunto pelo segundo crivo, o da bondade. Ainda que não seja real o que julgas saber, será pelo menos bom o que me queres contar?

Hesitando, o homem replicou:

- Isso não ... Muito pelo contrário...

- Ah! - tornou o sábio - então recorramos ao terceiro crivo, o da utilidade, e notemos o proveito do que tanto te aflige.

- Útil?!... - aduziu o visitante ainda mais agitado. - útil não é...

- Bem - rematou o filósofo num sorriso -, se o que me tens a confiar não é verdadeiro, nem bom e nem útil, esqueçamos o problema e não te preocupes com ele, já que de nada valem casos sem qualquer edificação para nós. . . "



Richard Simonetti – "A voz do monte"

terça-feira, 22 de junho de 2010

SEGUE-ME


Eu sou aquele anunciado pelas profecias; sou também um profeta.

Sou a luz do mundo, eu sou o Messias.

Bato à porta do teu coração e falo, na suavidade da emoção.

Venho libertar os teus sentimentos.

Quero a tua paz, oferto-te amor.

Quero que andes comigo vencendo a dor.

Eu sou o caminho, a vida e a verdade; sou o ar que respiras, eu sou a bondade!

Sei da tua fraqueza, sei todos os teus compromissos com o passado, sei e sinto o ambiente em que vives; porém, sei que és amado por Deus.

Segue-me que alcançarás a compreensão!

Segue-me de novo que tua vida se modificará!

Torna a me seguir, que ganharás novo coração!

Vê o que quero te dizer: - Observa as leis da natureza, harmoniza-te com Deus, e Ele fundirá o teu passado no presente, e o presente no futuro. E viverás no eterno da vida, no moderno...

Segue-me companheiro, que serei teu Mestre onde quer que seja.

Eu te ajudarei na conquista do profundo que almejas e da tranquilidade de consciência.

Mostrarte-ei os meios de viver na clemência e na alegria com abundância.

Serei por dentro teu cicerone, no silêncio de ti, sem revelar meu nome.

Eu te mostrarei o valor do perdão, da paciência, da solicitude, do amor, de todas as virtudes!

Segue-me, te peço.

Confia em mim; pois eu sou Jesus.

Antes passa pelos sacrifícios da cruz...



João Nunes Maia pelo espírito - Irmão Horta

sábado, 19 de junho de 2010

AGENDA REFORMA ÍNTIMA - 6ª SEMANA


"Ainda que eu falasse a língua dos homens e dos anjos, se não tiver caridade, sou como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine."

[Paulo]


E então? Como vem se sentindo?
Que mudanças percebe em si mesmo?
Quais vantagens já sente por estar descobrindo quem verdadeiramente você é?


Meta do Mês: Desenvolver a Caridade Moral


"Pois quando éramos fracos, Cristo morreu a seu tempo pelos ímpios."

[Romanos, 5:6]


Meta da Semana: Desenvolver a Indulgência para as imperfeições dos outros.


Como: Antes de acusar alguém, verifique se a mesma censura não nos pode ser feita.


Sugestão de prece diária: Prece a Deus rogando forças para combater o excesso de rigor.


"Ela (a caridade) nos prescreve a indulgência, porque de indulgência precisamos nós mesmos, e nos proíbe que humilhemos os desafortunados contrariamente ao que se costuma fazer."

[O Livro dos Espíritos, perg. 886]

Exercicío da semana: Prática da Caridade

Realize o exercício em uma folha de papel (de preferência sua agenda ou um caderno só para esses exercícios).

Responda às seguintes perguntas:

1- Quantas vezes fui benevolente esta semana?
2- Quantas vezes demonstrei indulgência para as imperfeições do outros?
3- Quantas vezes perdoei as ofensas que me foram dirigidas?
4- Quantas vezes fui caridoso diante de meus familiares?


Agora analise suas respostas e veja que conclusões pode tirar sobre si mesmo...

Uma excelente semana para todos!!!

Equipe de Divulgação do Lar da Caridade

PROGRAMA TRANSIÇÃO - 20/06


Neste domingo, 20/06, PROGRAMA TRANSIÇÃO traz como convidado:


MARCEL BENEDETI


Tema: Animais


Apresentação: Del Mar Franco


O programa é exibido todos os Domingos às 15:15hs na Rede TV (Parabólica, Tv, Cabo e SKY)

Para quem não possui antena, pode assistir os vídeos no site:

http://www.programatransicao.tv.br/

sexta-feira, 18 de junho de 2010

CENTRO ESPÍRITA FORTE X CENTRO ESPÍRITA FRACO


A senhora virou-se para mim e, com um calculado ar de deboche, disparou:

- “Eu que num fico nesse lugar. Esse centro espírita é muito fraquinho! Prefiro procurar um mais forte. Comigo é assim, tem que resolver logo! Esse negócio de muita conversa, é coisa de gente frouxa.” – E tomou o rumo do portão de saída.

Situações como essa são relativamente frequentes.

Há muitas pessoas que preferem um centro espírita “forte“, que resolva logo os seus problemas de uma vez. E de preferência, bem rapidinho…

Resta-nos, então, saber: Afinal, existe centro espírita e centro espírita fraco?

Não. Não existe. O que ocorre é que muita gente chega à casa espírita buscando curas instantaneas, imediatas para os seus problemas.

Centro Espírita forte, para elas, seria um centro espírita que resolvesse os problemas dela imediatamente, sem preocupar-se com as consequências disso nem tampouco questionar se ela, que está pedindo ajuda, é realmente a vítima…

Ao chegarem na casa espírita, ficam frustradas por tomarem conhecimento que o Espiritismo busca esclarecer definitivamente as consciências, indo à raiz do problema e, para isso, irá exigir que a própria pessoa tenha sua dose de esforço e sacrifício… Bem, sacríficio e esforço são coisas que nem sempre são bem vistas por essas pessoas.

Ao serem, então, recebidas nas casa espírita, essas pessoas são defrontadas com algumas coisas surpreendentes:

1) A primeira delas é que nós espíritas, tratamos os espíritos perseguidores com o mesmo carinho que dispensamos às suas vítimas. Muita gente até se revolta com isso. Elas chegam dizendo que são vítimas, que tem espíritos maus fazendo tudo de ruim com elas e nós, em vez de nos compadecermos dela e dar um jeito no espírito mau, fazemos justamente o contrário! Ou seja, dispensamos a todos o mesmo carinho e atenção, igualmente.

Porque fazemos isso?

Porque entendemos que a vítima de hoje pode ter sido o perseguidor de ontem. Somos todos espíritos e já vivemos muitas vidas. Um espírito que nos persegue, muito possivelmente foi agredido em uma outra vida passada e, hoje, nos encontrando presos a um corpo físico, busca vingança.

É por isso que tratamos a ambos com o mesmo carinho, para que compreendam que somente o perdão, de ambas as partes, encerrará definitavamente a questão.

2) A segunda surpresa é que pedimos que a “vítima” corrija seu proceder, buscando melhorar-se intimamente. Muitos, nesse momento, acentuam que quem tem que se melhorar é o espírito perseguidor e cruel, a seu ver…

A justificativa para nossa postura basea-se na compreensão que precisamos melhorar nosso padrão vibratório, buscando a prece, o amor o perdão e a caridade ativa em nossas vidas. Agindo dessa forma, nós nos elevamos espiritualmente, modificando nosso padrão vibratório e, dessa forma, o espírito perseguidor que vibra em faixas muitos baixas, no ódio e na revolta, não consegue forças para nos atingir.

3) A terceira surpresa fica por conta do tempo necessário à resolução da questão. Muitos chegam até a casa espírita com o pensamento viciado devido à frequência a determinados cultos religiosos, onde acostumaram-se a chegar, dizer qual o problema, e um espírito qualquer garantir: “Dentro de pouco tempo tudo será resolvido!“…

Essas pessoas acreditam que o mal veio até elas assim, do nada, por acaso, e do mesmo jeito poderá ser extinto. Não é assim que funciona a Lei do Pai. Nós estamos todos submentidos à Lei de Ação e Reação, que equivale dizer que só nos acontece o bem ou o mal que nós mesmo plantamos, tendo sido feita a plantação nesta ou em outras vidas passadas.

Ora, se o mal foi cultivado por nós através de anos e anos, não é muito crível que ela seja extinto em um estalar de dedos.

Dessa forma, jamais estipulamos o tempo que será necessário pra que o tratamento chegue ao fim.

O sucesso do tratamento de desobsessão espíritual depende muito mais da pessoa que busca ajuda do que mesmo do espírito perseguidor. Isso porque cabe á pessoa cortar a sintonia vibratória que acostumou-se a manter com o obessor, cultivando pensamentos de tristeza, de fracasso, coisas ruins.

O primeiro passo a tomar é elevar o padrão de pensamentos, pensando sempre com confiança, de forma positiva, mantendo a fe em Deus.

O segundo passo do tratamento é orar a Deus, sempre e com sinceridade, buscando o amparo dos amigos espirituais.

O terceiro passo é esclarecer-se. Compreender as Leis da Vida. Entender que somos, todos, espíritos eternos e nada, absolutamente nada, acontece em nossas vidas por acaso. Nem oque é bom, nem o que é ruim.

O quarto passo é a reforma moral. Corrigir erros e vícios e agir sempre de forma correta na vida, em abolutamente todas a situações. Os espíritos que nos perseguem acompanham os nossos passos e quando agimo9s errado, eles são os primeiros a desacreditarem em nossa melhora. Ao contrário, quando agimos sempre certo, eles acabam por se convencerem que realmente mudamos, que não somos mais aquele a quem ele conhecia.

O quinto passo é aprendermos a perdoar. Não só o nosso obsessor, mas a tudo e a todos que fazem parte de nossas vidas. O perdão é libertador. Há pessoas que carregam manchas terríveis no coração por que adoram cultivar o rancor, que quando não mata, aleija, e quando não aleija, com certeza cria um forte laço com o espírito perseguidor que vibra na mesma sintonia.

E, por fim, a paciência. Com calma e confiança em Deus, sempre teremos o amparo dos bons espíritos, nos ajudando a superar todas as dificuldades.

Centro Espírita forte seria aquele que resolve o problema imediatamente. Acontece que não resolvem. A situação melhora, o espírito perseguidor é muitas vezes afastado à força e as coisas ficam mais tranquilas… por algum tempo. Mas quando o espírito volta a perseguir, o faz ainda com mais ódio e força, assim, a situação transforma-se em um triste ciclo a repetir-se.

A sitação equipara-se a um paciente que prefere tomar um analgésico para diminuir a dor no estômago imediatamente, do que submeter-se á cirurgia de úlcera gástrica, que resolveria a situação mas, por ser mais trabalhosa e exigir esforço próprio, é adiada o quanto se pode.

Portanto, O centro espírita, seguindo os preceitos do Mestre Jesus é sempre forte, mas nada pode fazer se preferimos evitar o enfrentamento dos nossos problemas e preferimos ficar adiando o mal que, nós mesmos, criamos.

Que a paz de nossos Mestre Jesus, nos envolva agora e sempre!


Fonte: Blog do Ylen / Espitirinhas

quinta-feira, 17 de junho de 2010

PALESTRAS DE ORSON PETER CARRARA EM TERESINA

A FEPI convida a todos os trabalhadores espíritas para assistir as palestras do orador espírita Orson Peter Carrara nos dias 23, 24 e 25 de Junho às 19h, no Cine Teatro da Assembléia Legislativa com os temas:


* Dia 23/06 (QUA)
Tema: Por que adoecemos? Os prejuízos dos sentimentos na saúde.

* Dia 24/06 (QUI)
Tema: Fim do mundo em 2012? Flagelos destruidores, mortes coletivas e transformação do planeta.

* Dia 25/06 (SEX)
Tema: Espíritos e médiuns. Quem são? Onde estão? O que fazem? Por que nos procuram e por que os médiuns são médiuns?


Essa atividade é promovida pela fundação Dr. Adolfo Bezerra de Menezes em favor do Movimento Espírita do Estado.


- BIOGRAFIA -


Orson Peter Carrara nasceu em Mineiros do Tietê - SP no dia 10 de março de 1960.

Filho de pais espíritas (Roberto Pasqual Carrara e Genoefa Altemari Carrara), desde cedo vinculou-se ao Centro Espírita "Francisco Xavier dos Santos", onde participou das antigas Aulas de Espiritismo às Crianças, da Mocidade Espírita e chegou à Presidência da Instituição por várias gestões.

Na época de infância e mocidade, recebeu grande influência, em sua formação doutrinária do tio Pedro Carrara, autêntico e valoroso espírita da cidade, além dos exemplos dos pais no trabalho espírita.

Expositor espírita, tem percorrido muitas cidades do Estado de São Paulo e já esteve nos Estados de Pernambuco, Bahia, Minas Gerais e Rio de Janeiro, por várias vezes, para tarefas de divulgação espírita.

Articulista da imprensa espírita, tem colaborado com diversos órgãos da imprensa espírita, entre revistas e jornais do país, além de boletins regionais.

Atualmente reside em Matão - SP com a família. É casado com Aparecida Neuza Marana Carrara. Os filhos Cíntia, Cássio e Alexandre (os dois últimos, gêmeos) completam-lhe a família.

http://orsonpetercarrara.blogspot.com/

MINISSÉRIE DA GLOBO COM TEMÁTICA ESPÍRITA

Mais uma produção com temática espírita chegará às telas de TV de todo o Brasil.

Após o sucesso da novela “Escrito nas Estrelas”, de Elizabeth Jhin, a Rede Globo produzirá “A Cura”, de João Emanuel Carneiro.

Com data de início ainda não divulgada, a minissérie será protagonizada por Selton Mello. Na produção, o ator dará vida a um médico “que se utiliza de poderes espirituais para ajudar na cura de seus pacientes”.

“A Cura” terá suas gravações iniciadas na segunda quinzena deste mês, em Diamantina (MG).

A minissérie trará atores como Nívea Maria, Juca de Oliveira, Ana Rosa, Caco Ciocler, Ary Fontoura e Carmo Dalla Vecchia no elenco dirigido por Ricardo Waddington.


Fonte: Boletim Eletrônico da FEB

terça-feira, 15 de junho de 2010

HISTERIA COLETIVA OU OBSESSÃO EPIDÊMICA?


RECENTE CASO DE “HISTERIA COLETIVA” NO MÉXICO SURPREENDE A OPINIÃO MUNDIAL

A imprensa jornalística veiculou recentemente um estranho caso de “histeria coletiva”, acontecido em internato católico na cidade de Chalco, no México. A notícia nos chegou ao conhecimento via Correio WEB, edição de 7/4/2007.


O FATO:

Tudo começou em outubro de 2006, no Internato “Villa de las niñas”. Duas meninas foram acometidas, espontaneamente, de vertigens e de uma espécie de “atrofia muscular” nos membros inferiores, seguida da incapacidade de mobilizar as próprias pernas.

Todavia, em março de 2007 , a cifra alcançava o surpreendente número de seiscentas jovens vitimadas pelo estranho mal, para surpresa do corpo diretivo da instituição, integrado por religiosas de origem asiática e estarrecimento da classe médica local.

A nota jornalística deixa claro que o grupo não apresentava nenhum problema prévio de saúde, com o qual se pudesse estabelecer relação de causa e efeito com a posterior histeria. As autoridades sanitárias, os profissionais do Hospital Infantil e da Secretaria de Saúde do México não economizaram esforços na investigação, mas a hipótese mais provável é a de que tudo não passa de um notável fenômeno psicológico de “histeria coletiva”.

O internato é dirigido por uma congregação de religiosas sul-coreanas, conhecida pela disciplina rígida imposta às crianças. Detalhe significativo: os sintomas misteriosos desaparecem quando as meninas se ausentam do local.


O PONTO DE VISTA MÉDICO:

A psiquiatria dedica um capítulo ao estudo da “neurose histérica”, muito embora, na atualidade, essa expressão, já em desuso, tenha sido substituída por transtorno dissociativo ou conversivo. Pois bem. Diríamos, então, que o transtorno conversivo é uma perda parcial ou completa da integração entre a memória, a consciência de identidade e o controle dos movimentos corporais.

De acordo com os manuais psiquiátricos, o impulso causador da ansiedade é convertido em sintomas funcionais ou somáticos, que comprometem a mente ou partes do corpo, desencadeando, entre outras manifestações, a perda da função motora, a exemplo da paraplegia circunstancial observada no caso mexicano.

Note-se que essas manifestações se efetivam na ausência de qualquer substrato anátomo patológico, sendo a expressão orgânica de conflitos intrapsíquicos. Mas a psiquiatria nos fornece outras informações sugestivas sobre os transtornos conversivos. Há situações em que o sujeito pode apresentar um quadro de personalidade múltipla, de sonambulismo ou até mesmo de escrita automática, tudo creditado na condição de transtorno dissociativo, conquanto, no contexto experimental da ciência espírita, cada uma dessas situações pudesse ser submetida ao crivo da investigação mediúnica.

Naturalmente, o parecer da ciência oficial não deixa de se fixar na causa psicológica dos aludidos fenômenos, muito embora, em confronto com as manifestações coletivas de transtorno conversivo, a hipótese espírita nos pareça lógica e inquestionável, pois a sua metodologia investigativa dispõe do instrumental mediúnico humano, o mais adequado para esclarecer o diagnóstico de uma subjugação espiritual.


ANÁLISE ESPÍRITA DO FENÔMENO:

Os transtornos dissociativos de caráter epidêmico (obsessões coletivas) são bastante familiares aos estudiosos do Espiritismo. Allan Kardec, em várias oportunidades, referiu-se às obsessões epidêmicas, disponibilizando-nos um farto material de estudo.

Entretanto, para melhor compreensão, relembremos o conceito de subjugação, ponto de partida para o entendimento do inusitado fenômeno. “A subjugação é um envolvimento que produz a paralisação da vontade da vítima, fazendo-a agir malgrado seu. (...) A subjugação pode ser moral ou corpórea. No primeiro caso, o subjugado é levado a tomar decisões freqüentemente absurdas e comprometedoras que, por uma espécie de ilusão, considera sensatas: é uma espécie de fascinação. No segundo caso, o Espírito age sobre os órgãos materiais, provocando movimentos involuntários.”(1)

Os processos obsessivos, apesar de generalizados, fogem à alçada dos bancos acadêmicos, o que, infelizmente, justifica as apreciações incorretas sobre certos fenômenos insólitos.

A subjugação espiritual é o exemplo de constrangimento máximo a que o encarnado pode se submeter. Ela interfere tanto no componente moral quanto nos órgãos materiais do ser. Nesse último caso, o sujeito sente-se tomado por uma vontade maior que o compele a agir contra a sua própria vontade.

À medida que o envolvimento fluídico se intensifica, os espíritos podem forçar sua vítima a praticar movimentos involuntários, assim como induzir paralisias musculares, pois exercem uma influência capaz de excitar ou inibir os núcleos motores da organização física.

E não se pense que a subjugação só atinge um indivíduo por vez, porquanto são inúmeros os exemplos de manifestações coletivas orquestradas pelos maus espíritos. “Aquilo que um Espírito pode fazer a uma criatura, vários deles o podem sobre diversas, simultaneamente, e dar à obsessão um caráter epidêmico. Uma nuvem de maus Espíritos pode invadir uma localidade e aí se manifestarem de várias maneiras. Foi uma epidemia de tal gênero que se alastrou na Judéia, ao tempo de Cristo, e, em nossa opinião, é uma epidemia semelhante que ocorre em Morzine.”(2)

A Revista Espírita publicada por Allan Kardec descreve detalhadamente um famoso caso ocorrido na comuna de Morzine, departamento da Alta Sabóia, França e, contra o qual falharam todos os recursos médicos e da religião.

Os fatos observados na epidemia obsessiva de Morzine, no século XIX, e os acontecimentos recentes registrados na cidade de Chalco, México, nos permitem algumas deduções. Em ambos, a epidemia insólita incidiu em crianças e jovens. Assim sendo, a nossa percepção nos faz crer que o alvo preferido das nuvens de maus espíritos sejam as crianças, talvez pela incapacidade de melhor se defenderem.

Acrescente-se um outro detalhe: as epidemias obsessivas não costumam recair sobre as criaturas letradas e possuidoras de um melhor domínio sobre si mesmas. “Querendo exorcizar estes infelizes, na maioria crianças, o cura mandou trazê-las à igreja, conduzidas por homens vigorosos. Apenas pronunciou as primeiras palavras latinas, produziu-se uma cena terrificante: gritos, saltos furiosos, convulsões, etc.; a tal ponto que mandaram chamar os soldados de polícia e uma companhia de infantaria para restabelecer a ordem.” (3)

No nosso entender, a força descomunal demonstrada pelas crianças de Morzine ou a paralisia incapacitante a que elas foram submetidas em Chalco, servem para comprovar o poder da ação subjugadora fluídica, que se abate avassaladora sobre as vítimas.

Não afastamos, em hipótese alguma, a possibilidade de um fenômeno auto-sugestivo motivado pelo espírito de imitação. A mente excitada é capaz de produzir fenômenos extraordinários. Todavia, ao estudarmos as obsessões epidêmicas na obra kardeciana, ressaltam as informações provenientes de mentores categorizados, apontando como causa dos fenômenos incomuns, a influência tenaz de espíritos perturbadores.

Ainda sobre Morzine, conforme nos informa a Revista Espírita, pinçamos um relatório da sociedade médica local publicado pela “Gazette Médicale de Lyon”, onde destaca-se sugestiva apreciação: “O dr. Caille concluiu por uma afecção nervosa epidêmica, que escapa a toda espécie de tratamento e de exorcismo. (...) Todos os infelizes obsedados, em suas crises, pronunciam palavras sujas; dão saltos prodigiosos por cima das mesas, trepam em árvores, nos telhados e, às vezes, profetizam.”(4)

Ora, a expressão “profetizam” pode ter o significado de simples manifestação mediúnica, o que consagra a tese espírita que defende a interferência dos desencarnados sobre as crianças de Morzine.

Observações acuradas apontam outras possibilidades: os casos mais graves de obsessão coletiva costumam atingir a gente simples, ignorante e mais impressionável. “Ninguém ignora que quando o Cristo, nosso muito amado Mestre, encarnou-se na Judéia, sob os traços do carpinteiro Jesus, aquela região havia sido invadida por legiões de maus Espíritos que, pela possessão, como hoje,se apoderavam das classes sociais mais ignorantes, dos Espíritos encarnados mais fracos e menos adiantados..."(5)


CONCLUSÃO:

Na contemporaneidade, a mídia tem divulgado inúmeras circunstâncias, nas quais subentende-se o fenômeno de obsessão coletiva a manifestar-se sobre criaturas moralmente comprometidas, ignorantes e que dão azo às paixões inferiores descontroladas e primitivas na produção de escândalos sucessivos.

Sem maiores dificuldades, identificamos quadros de obsessões coletivas em múltiplas circunstâncias do cotidiano, por exemplo: em meio às convulsões sociais, políticas ou reivindicativas, que resvalam freqüentemente para a violência; em período carnavalesco, quando a TV enfoca desfiles de criaturas desnudas e debochadas, imersas na luxúria e na depravação dos costumes; em festas raves, onde a juventude, ao som da música perturbadora e sob o efeito de drogas tóxicas, cria ambiente propício à atuação dos espíritos maléficos, descambando para a violência explícita e descontrolada.

Recordemos, ainda, os tristes espetáculos retransmitidos pela mídia televisiva, envolvendo torcidas esportivas que se digladiam nos estádios e nas vias públicas, em nome da paixão por determinado time, e por aí vai.

Se pudéssemos devassar o campo astral desses grupos sociais, identificaríamos nuvens de espíritos maléficos que controlam com facilidade as mentes desequilibradas dessas criaturas infelizes.

Em se tratando da participação de seres invisíveis na gênese das epidemias obsessivas, reconhecemos a ineficácia dos meios médicos e dos exorcismos inúteis, na contenção do problema.

Só o caráter científico do Espiritismo permite uma posição mais analítica do assunto ao lado de medidas saneadoras úteis ao encaminhamento dos casos.

Não está longe o dia em que os profissionais de saúde adeptos do ideário espírita saberão diferençar uma afecção orgânica de uma enfermidade espiritual, seja obsessão individual ou coletiva, de modo a minimizar os equívocos diagnósticos, reduzir os sofrimentos e evitar os gastos inúteis.


Vitor Ronaldo Costa



Fonte: Grupo Virtual Piauí Espírita



- NOTA -

1-KARDEC, Allan . O Livro dos Médiuns, cap. XXIII, item 240.

2-KARDEC, Allan . Revista Espírita, pág. 8, vol. 1, janeiro de 1863, EDICEL.

3-KARDEC, Allan. Revista Espírita, pág. 107, vol. 4, abril de 1862, EDICEL.

4-Idem, pág. 108.

5-Ibidem, pág. 109

GABRIEL DELLANE - MÉDIUM AOS 8 ANOS


Sob o título "Vossos filhos e vossas filhas profetizarão", narra o insigne Codificador um dos mais lindos casos da coleção da Revista Espírita.

O mestre lionês inicia citando que o Sr. Alexandre Delanne, já conhecido dos leitores da Revista, tem um filho de oito anos, Gabriel, e que este a todo instante ouve falar do Espiritismo em sua família.

Ressalta que o garoto se iniciou cedo na Doutrina e “surpreende pela justeza com que raciocina os seus princípios”.

Mas, Kardec acrescenta que afinal de contas isto nada tem de surpreendente, “pois é apenas o eco das idéias com que foi embalado”.

Gabriel, por várias vezes assistiu às sessões mediúnicas presididas por seu pai, que as dirigia com perfeita ordem, com método e recolhimento.

Certa vez, o menino se achava em casa de um conhecido, brincando com a priminha de cinco anos e mais dois meninos, um de sete e outro de quatro anos. A senhora que residia no térreo chamou-os e ofereceu-lhes bombons e convidou-os a entrar em sua casa, ao que as crianças atenderam. Estabeleceu-se entre ela e o filho do Sr. Delanne o seguinte diálogo:

-Como te chamas, meu filho?

-Eu me chamo Gabriel, senhora.

-Que faz teu pai?

-Senhora, meu pai é espírita.

-Não conheço esta profissão.

-Mas, senhora, não é uma profissão; meu pai não é pago para isto, ele o faz com desinteresse e para fazer o bem aos homens.

-Meu rapazinho, não sei o que queres dizer...

-Como! Jamais ouvistes falar das mesas girantes?

-Então, meu amigo, bem gostaria que teu pai estivesse aqui para as fazer girar.

-É inútil, senhora, eu tenho, eu mesmo, o poder de as fazer girar.

-Então queres experimentar e me fazer ver como se procede?

-De boa vontade, senhora.

O menino e seus coleguinhas sentam-se ao redor da mesa, pondo as mãos em cima.

Gabriel faz uma evocação, em tom muito sério e com recolhimento. Para surpresa geral a mesa moveu-se e bateu com força. A pedido do menino, a dona da casa pergunta quem está ali e a mesa soletra: "Teu pai."

A senhora, muito emocionada, passa a interrogá-lo a respeito de uma carta que acabara de escrever. Pede provas de que era mesmo o pai propondo questões íntimas e todas as respostas foram corretas. As revelações foram demais e ela não consegue prosseguir, dominada pela emoção.

Kardec extrai a seguir algumas conclusões desta caso: a autenticidade, a questão da mediunidade nas crianças e a realização das palavras proféticas “vossos filhos e vossas filhas profetizarão”.

Por nosso lado surgem também algumas reflexões em torno desse lindo caso de Gabriel Delanne.


Fonte: Grupo Virtual Piauí Espírita

ALUNOS EM TRANSE NO CEARÁ


Mistério: estudantes de uma localidade de Itatira entram em transe

Um fenômeno paranormal está afetando estudantes, a maioria meninas, da Escola de Ensino Fundamental Eduardo Barbosa no Distrito de Cachoeira BR, no Município de Itatira, cidade localizada no Sertão Central a 220 quilômetros de Fortaleza. O caso está deixando as autoridades do Município sem uma explicação.

De acordo com depoimentos das vítimas os sintomas são: dores musculares, de cabeça, sufoco no sistema respiratório, no peito, palidez, calafrio, dificuldades para caminhar, náusea, paralisia muscular, aumento nos batimentos do coração, pressão alta, desmaio, inquietação e medo de morrer.

O fato está deixando o secretário de Educação de Itatira, Antônio Inácio, preocupado, pois as vítimas, segundo ele, ficam em transe, agressivas e com perda de identidade. Os jovens, entre 11 e 16 anos, depois que voltam ao normal, não conseguem lembrar nada.

Os familiares, professores e amigos das estudantes, quando estão presentes no momento do fenômeno, ficam apavorados, correm de um lado para outro e precisam agir com rapidez para carregá-las nos braços e levá-las aos hospitais mais próximo em Canindé, Lagoa do Mato e Madalena. A ocorrência começou no último dia 2 e se estendeu por toda a semana. Já atingiu 32 alunas e um estudante.

Após o transe

Após o momento de transe, as meninas se recuperam e voltam a conversar normalmente, como se nada tivesse acontecido.

Para os pais, como não há um diagnóstico para o que está acontecendo, o jeito é acreditar em Deus. Para a auxiliar de serviço da instituição educacional onde se presencia o fato, Francisca Zeneide da Silva, todas as crianças que são dominadas pelo fenômeno agem da mesma forma e, ao retomarem os sentidos, não lembram nada. “Quando acontece com uma, todas ficam em pânico”, conta ela.

A diretora da Escola Nazaré Guerra, Eliane Dias, situada em Lagoa do Mato, que tem um anexo funcionando na Escola Eduardo Barbosa, local onde estão ocorrendo os fatos paranormais, não esconde o medo de tudo isso e já pensa em buscar solução junto ao Estado e até mesmo um parapsicólogo. “Vamos nos reunir com as autoridades do Município para buscarmos uma solução. Está todo mundo apavorado, nunca tinha presenciado nada igual ao que vi na última sexta-feira, dia 4″, disse. Ela autorizou a suspensão das aulas até que seja esclarecido o ocorrido.

Celebração

Para tentar conter o avanço do fenômeno, o padre Guilherme Afonso de Andrade Pessoa foi convidado a celebrar uma missa na própria escola. No momento de oração, o que se viu foi à repetição da cena por diversas vezes. Em uma determinada ocasião, uma aluna, Graziele da Silva, entrou em transe e mudou totalmente a voz. Houve uma grande correria. Essa é a reação que ocorre para quem presencia a cena. A adolescente dizia que estava com medo e pedia para não deixá-la morrer e chorava muito.

O padre disse que a Igreja é muito prudente em tudo. “É preciso aprofundar bem as coisas, para não dizer palavras sem anexo. A Igreja só emite opinião depois de um estudo aprofundado”, disse.

O pastor evangélico, José Carlos, de Lagoa do Mato, distrito mais próximo do local dos acontecimentos, acredita que pode ser uma força espiritual que está agindo dentro da escola, já que da unidade educacional, três jovens morreram em acidentes. “Talvez eles estejam vagando precisando de reza”.

Tensão

Estudantes relatam angústia e medo

Itatira. Para quem sofre na pele o fenômeno, conta que são momentos angustiantes. De acordo com a estudante Andréia Alves Marcolino, de 16 anos, a “perseguição deste fenômeno é de exato um mês. É tudo muito rápido, começa com um calafrio, depois as mãos ficam trêmulas, os batimentos do coração ficam acelerados, dá sede, um sufocamento toma conta do tórax, as pernas não seguram o corpo e aos poucos vem o desmaio. Quando volto ao normal, não dá para relembrar de nada”, relata.

Um dos garotos que vivenciou o problema, Marlei Alves Marcolino, de 14 anos, diz que os acontecimentos acontecem em série. “Quando tudo começa dá uma dor no peito, um arrepio, uma agitação que dá vontade de correr, gritar e pedir para não morrer. A gente desmaia, perde o sentido e o que é pior fica com a voz conturbada. No dia que aconteceu comigo, a professora disse que mais seis alunas sofreram o mesmo ataque”, conta.

Emoção

Outra estudante que se emociona e chega a chorar ao descrever a situação é Francisca Diana Lôbo Loiola, de 18 anos. “De imediato dá um nervosismo. Fiquei tonta, bateu um suor frio, a voz fica enrolada e grossa e a força que penetra na mente pede que reze missa e faça orações porque ele não vai ficar satisfeito enquanto não realizar a sua missão. É uma adrenalina muito forte. Estou com muito medo de voltar à sala de aula.


Fonte: Diário do Nordeste / Grupo Virtual Piauí Espírita

domingo, 13 de junho de 2010

AGENDA REFORMA ÍNTIMA - 5ª SEMANA



"Não olvides que caridade é o coração no teu gesto".

[Meimei]


Meta do Mês: Desenvolver a Caridade Moral

"Porque todos os que sem lei pecaram, sem lei também perecerão; e todos os que sob a lei pecaram, pela lei serão julgados."

[Paulo - Romanos, 2:12]


Meta da Semana: Desenvolver a Benevolência


Como: Benevolência com os defeitos alheios: fuja da maledicência e da intriga.


Sugestão de prece diária: Prece ao anjo da guarda rogando estímulo à prática da caridade.


"Caridade é a virtude fundamental sobre o que há de repousar todo o edifício das virtudes terrenas".

[O Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. XIII, item 12]


Exercicío da semana: Balanço diário das ações

* Em uma folha de papel (de preferência sua agenda ou um caderno só para esses exercícios), liste 3 ações negativas que denotaram egoísmo de sua parte.

* Liste, na mesma folha, 3 ações positivas que denotaram caridade de sua parte.

* Reflita sobre cada ação, e busque ter mais atenção para não repetir as ações negativas e, se possível, peça desculpas por elas.


E PARABÉNS pelas ações positivas!
É esse mesmo o caminho!!!
Repita sempre esse comportamento lindo que você teve!
Uma excelente semana para todos!


Equipe de divulgação do Lar da Caridade

PROGRAMA TRANSIÇÃO - 13/06


Neste domingo, 13/06, PROGRAMA TRANSIÇÃO traz como convidado:


SUELY CALDAS SCHUBERT


Tema: Nossos pensamentos


Apresentação: Guiomar Sant'Anna


O programa é exibido todos os Domingos às 15:15hs na Rede TV (Parabólica, Tv, Cabo e SKY)

Para quem não possui antena, pode assistir os vídeos no site:

http://www.programatransicao.tv.br/

quinta-feira, 10 de junho de 2010

SINTOMAS DE UMA OBSESSÃO


Como saber se estamos passando por um processo obsessivo?

Através de uma observação de algumas situações.

Quando um obsessor passa a ocupar o nosso campo mental, passamos a vivenciar algumas alterações em nossos pensamentos, que irão alterar nossas atitudes e comportamentos.

Comumente, essa influência passa a atingir algumas pessoas ao nosso redor, que são usadas pelo obsessor para nos desestabilizar.

Com o objetivo de ajudar a se estamos passando por uma obsessão, ou não, relacionamos os principais sintomas que indicam com grande segurança se estamos enfrentando um quadro desses.

Caso a pessoa se enquadre em algum desses itens, sugerimos procurar um centro espírita bem orientado e buscar o tratamento de desobsessão espiritual.

* Choro fácil - Há pessoas que são naturalmente emotivas. Não nos referimos a elas. Choro fácil aqui está relacionado com o estado de ânimo da pessoa, que tende a chorar com facilidade por contrariedades ou situações de menor valor.

* Irritabilidade - A obsessão espiritual acarreta comumente uma irritabilidade no obsediado, pela assimilação das energias desagradáveis do obsessor em seu campo mental.

* Ataques de explosão emocional - Esse é um indicativo de descontrole emocional. Muitas vezes as pessoas ficam surpresas com o seu próprio comportamento, sem compreenderem exatamente porque explodiram de tal maneira com algo que, nas maioria das vezes, não tinha tanta importância.

* Sentir calafrios - Caso a pessoa não esteja com nenhum problema de saúde, como deficiência de vitaminas ou algo assim, sentir calafrios torna-se um importante sintoma indicativo de obsessão.

* Pensamentos recorrentes de fracasso - Uma coisa que o obsessor faz, com muita frequência, é bombardear a mente do obsediado com mensagens de fracasso, de derrota, visando minar, destruir a auto-estima da pessoa. Quanto mais a pessoa aceitar esses pensamentos derrotistas, mais espaço o obsessor encontra na vida da pessoa. Temos que lutar contra isso, substituindo os pensamentos ruins por pensamentos bons e orando, sempre e bastante, com fé para que tudo passe.

* Ideações suicidas - A imensa maioria dos obsessores adoraria que a pessoa se suicidasse, porque o corpo físico é uma barreira para eles. Por isso, eles bombardeiam a mente de suas vítimas com idéias de suícidio. A maneira mais efetiva de reagir a isso é esclarecer-se sobre o suicídio, compreendendo quee matar-se é abrir a porta a terríveis sofrimentos e, por outro lado, elevar o pensamento a Deus em prece, rogando forças e auxílio, que sempre virá.

* Sucessão de dificuldades financeiras - Um campo muito atacado pelo obsessor, já que desestabiliza muita gente, como é natural. Quando se trabalha honestamente, com seriedade, é natural que os resultados apareçam. Dificuldades surgem e são naturais. Entretanto, dificuldades persistentes ou coisas dando errado em série, é um sinal de alerta para processos obsessivos presentes.

* Ouvir vozes - Esse sintoma também está presente na Esquizofrenia, por isso muitos psiquiatras acreditam que quem ouve vozes é esquizofrênico. Não é verdade em todos os casos. Na obsessão espiritual muitas vezes a pessoa passa a ouvir vozes. Comumente, após o tratamento de desobsessão espiritual, as vozes cessam e não voltam nunca mais. Aliás, muitos esquizofrênicos são apenas obsediados espirituais e, caso fossem tratados na casa espírita, ficariam curados. Claro que a esquizofrenia existe, mas também é claro, para nós espíritas, que há mais obsediados do que esquizofrênicos propriamente dito.

* Ver vultos - Quando a pessoa está obsediada, ao menos momentaneamente, há a percepção de alguns fenômenos mediúnicos, motivados pela presença do obsessor. Isso não significa que a pessoa é médium, mas indica que está havendo uma perturbação no campo espiritual da pessoa.

Esses não são todos os sintomas possíveis que indicam um quadro de obsessão, entretanto, a presença de um ou mais dos que relacionamos aqui, devem servir de alerta para que se procure ajuda espiritual em uma casa espírita bem orientada.


Fonte: Blog do Ylen

SENTIMENTOS FRATERNOS

“Quanto, porém, à caridade fraternal, não necessitais de que vos escreva, visto que vós mesmos estais instruídos por Deus que vos ameis uns aos outros.”

[Paulo - 1ª Epístola aos Tessalonicenses 4:9]


Forte contra-senso que desorganiza a contribuição humana, no divino edifício do Cristianismo, é o impulso sectário que atormenta enormes fileiras de seus seguidores.

Mais reflexão, mais ouvidos ao ensinamento de Jesus e essas batalhas injustificáveis estariam para sempre apagadas.

Ainda hoje, com as manifestações do plano espiritual na renovação do mundo, a cada momento surgem grupos e personalidades, solicitando fórmulas do Além para que se integrem no campo da fraternidade pura.

Que esperam, entretanto, os companheiros esclarecidos para serem efetivamente irmãos uns dos outros?

Muita gente se esquece de que a solidariedade legítima escasseia nos ambientes onde é reduzido o espírito de serviço e onde sobra a preocupação de criticar.

Instituições notáveis são conduzidas à perturbação e ao extermínio, em vista da ausência do auxílio mútuo, no terreno da compreensão, do trabalho e da boa-vontade.

Falta de assistência? Não.

Toda obra honesta e generosa repercute nos planos mais altos, conquistando cooperadores abnegados.

Quando se verifique a invasão da desarmonia nos institutos do bem, que os agentes humanos acusem a si mesmos pela defecção nos compromissos assumidos ou pela indiferença ao ato de servir.

E que ninguém peça ao Céu determinadas receitas de fraternidade, porque a fórmula sagrada e imutável permanece conosco no “amai-vos uns aos outros”.


Fonte: Livro "Pão Nosso" - Emmanuel / Chico Xavier

quarta-feira, 9 de junho de 2010

AMOR AOS ANIMAIS: DEVER DE TODOS


O amor é de essência divina e por isso mesmo está presente em tudo e em todas as coisas.

Essa realidade se patenteia quando observamos filósofos e pensadores, bem como cientistas e religiosos a afirmarem que Deus está em tudo e tudo depende da forma como observamos a vida.

Com efeito, se tudo provém de Deus, naturalmente Ele se encontra presente em todas as coisas, o que nos leva a recordar o porquê de Jesus falar sempre de Deus em todas as ocasiões. Essa presença divina in totum se patenteia e leva-nos a refletir na necessidade de expandir nosso amor, enxergando a divindade sempre.

O amor para ser puro e perfeito deve se ampliar o máximo possível, e ninguém poderá, de bom grado, dizer que ama realmente, se ainda cultiva em seu proceder ódios e dissensões, dissabores e ressentimentos, provindos de uma natureza ainda imperfeita.

Nessas condições teremos princípios de amor e fraternidade, muito válidos, mas ainda estaremos muito longe do amor maior a tudo e a todos, conforme nos ensina Jesus. Aquele que ama verdadeiramente expande seu sentimento, já que o amor é um sentimento, a tudo e todos, sejam seres humanos, animais, vegetais etc.

Comum observarmos os maus tratos, violência e a rudeza conferida a animais e plantas, às vezes provindas de pessoas pelas quais estimávamos um sentimento mais aprimorado.

Se observarmos mais acuradamente a essência dos ensinos crísticos e a maneira pela qual viveram os apóstolos de Jesus, entenderemos ser esse sentimento de ternura e misericórdia, que eles projetavam aos seus irmãos em humanidade, o mesmo que cultivavam aos seres mais inferiores da criação.

É muito conhecida a história de São Francisco de Assis que, ao pregar a religião cristã, igualmente projetava seu imenso amor aos animais e à natureza como um todo, a ponto de ser considerado, por tradições religiosas, como guia espiritual dos animais.

Também tradicionalmente popular é o amor de Chico Xavier aos animais e plantas, e seu contato intenso com a natureza. As famosas reuniões realizadas na sombra do abacateiro(1), os animais de estimação durante sua vida, o amor do médium pelas flores, especialmente rosas, faziam dele um verdadeiro apóstolo de Jesus.

Narra-se que certa feita, Chico adentrou-se na sala mediúnica para psicografar, juntamente a outros médiuns que participariam do trabalho. Repentinamente adentra-se pela janela um besouro e pousa sobre a mesa. Um dos médiuns apanha o lápis para espantar, ou quem sabe tentar matar o visitante inesperado, quando Chico lhe interrompe dizendo suavemente: “Não faça isso...” E delicadamente apanha com as mãos o besouro, leva-o até a janela, solta-o para o voo e diz: “Vá com Deus...”(2). Era essa a ternura do apóstolo para com a criação, pois seu amor era completo, ou seja, não escolhia local, ser ou condição; apenas amava.

Tornaram-se muito comuns na época de Jesus os sacrifícios feitos com animais, nos quais eram, muitos, mortos a fim de serem oferecidos aos deuses do império como louvor e oferenda, o que levou Jesus a afirmar em uma das mais célebres frases dos evangelhos: “Misericórdia quero, sacrifício não”(3), referindo-se exatamente ao amor e à misericórdia a ser exercida com os seres menores da criação.

Essa virtude sublime a emanar do Criador está presente nos espíritos de escol, mas se encontra presente em qualquer um de nós, pois, a partir do momento que nos identificamos com Deus, entendemos que “de nada adianta ganhar o mundo e perder a própria alma”(4), e se o Pai fez tudo com amor, é com amor que se deve cultivar a Sua obra, para que um dia possamos dizer, como o apóstolo Paulo: “Já não sou eu quem vive, mas é Jesus Cristo que vive dentro de mim”.



Eduardo Ferreira

Revista Espírita Internacional (RIE) - Junho/2010


-NOTA-


1- BACCELLI, Carlos. Chico Xavier, à sombra do abacateiro. Ed. Ideal.
2- História narrada por Divaldo Franco, na conferência de encerramento do 3º Congresso Espírita Brasileiro, na tarde de 18/04/2010, em Brasília, Centro de Convenções Ulysses Guimarães.
3- A Bíblia, evang. de Mateus, cap. 9: 11-13.
4- A Bíblia, evang. de Mateus, cap. 16:26.

terça-feira, 8 de junho de 2010

REVISTA REFORMADOR - JUNHO/2010


- NESTA EDIÇÃO -

* Em dia com o Espiritismo
A maldade: uma doença do Espírito

* Nossos irmãos, os estimados auxiliares domésticos
Sua mãe e seus irmãos vieram ter com ele

* Reconhece-se o bem pelas suas obras
JORGE LEITE DE OLIVEIRA


* Reflexões sobre a Moral Divina
CHRISTIANO TORCHI

* Congresso Nacional homenageia Chico Xavier
A Câmara dos Deputados promoveu Sessão Solene em homenagem ao Centenário de Chico Xavier.

* Editorial
Mundo em Transição

* Entrevista
Pierre-Etienne Jay


- A revista está disponível para leituras online no site da FEB:

http://www.febnet.org.br/site/


- Você pode adquirir seu exemplar na Livraria Ramiro Gama na FEPI, ou fazer uma assinatura anual no site da Livraria da FEB:

http://www.feblivraria.com.br/

REVISTA INTERNACIONAL DE ESPIRITISMO (RIE) - JUNHO/2010

- ARTIGOS DESSA EDIÇÃO -

• Lutar sempre
• Amor aos animais
• Abortiva ou não abortiva, eis a questão!
• Entrevista - Dr. Marco Antonio Figueiredo Milani Filho
• A teoria e os fatos espíritas
• A nova ordem social
• Notícias e eventos
• Mensagens psicografadas
• AJE-SP promove evento em Araraquara, SP
• 16º Megafeirão vende mais de 40 mil livros
• O Deus desconhecido
• Água magnetizada ou fluidificada
• Relacionamentos conflitantes
• Educar
• Alerta contra a fascinação
• Espiritismo por dentro
• Eu tenho, você não tem
• Missão dos espíritas
• Mundo “íntimo” de expiações e de provas
• O preconceito e a Lei de Deus
• A lucidez de Léon Denis e o socialismo
• Trabalhador espírita e o diálogo mediúnico
• Amor aos animais: dever de todos
• Os insofismáveis fatos da escrita mediúnica
• Um Trágico Equívoco
• A ciência avança e avança
• Espiritismo na Grã-Bretanha - Comemorado o centenário de Chico Xavier
• EUA homenageia Chico Xavier em Simpósio Espírita e palestras
• Don António Agramente - um herói espírita cubano

- Para adquirir a revista basta fazer a assinatura através do site:
http://www.oclarim.com.br/

- Ou comprar o seu exemplar na Livraria Ramiro Gama da FEPI

LINGUAGEM

"Linguagem sã e irrepreensível para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós."

[Paulo - TITO, 2:8]


Através da linguagem, o homem ajuda-se ou se desajuda.

Ainda mesmo que o nosso íntimo permaneça nevoado de problemas, não é aconselhável que a nossa palavra se faça turva ou desequilibrada para os outros.

Cada qual tem o seu enigma, a sua necessidade e a sua dor e não é justo aumentar as aflições do vizinho com a carga de nossas inquietações.

A exteriorização da queixa desencoraja, o verbo da aspereza vergasta, a observação do maldizente confunde...

Pela nossa manifestação mal conduzida para com os erros dos outros, afastamos a verdade de nós.

Pela nossa expressão verbalista menos enobrecida, repetimos a bênção do amor que nos encheria do contentamento de viver.

Tenhamos a precisa coragem de eliminar, por nós mesmos, os raios de nossos sentimentos e desejos descontrolados.

A palavra é canal do "eu".

Pela válvula da língua, nossas paixões explodem ou nossas virtudes se estendem.

Cada vez que arrojamos para fora de nós o vocabulário que nos é próprio, emitimos forças que destroem ou edificam, que solapam ou restauram, que ferem ou balsamizam.

Linguagem, a nosso entender, se constitui de três elementos essenciais: expressão, maneira e voz.

Se não aclaramos a frase, se não apuramos o modo e se não educamos a voz, de acordo com as situações, somos suscetíveis de perder as nossas melhores oportunidades de melhoria, entendimento e elevação.

Paulo de Tarso fornece a receita adequada aos aprendizes do Evangelho.

Nem linguagem doce demais, nem amarga em excesso.

Nem branda em demasia, afugentando a confiança, nem áspera ou contundente, quebrando a simpatia, mas sim "linguagem sã e irrepreensível para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós".


Fonte: Do livro "Fonte Viva" - Emmanuel / Chico Xavier

COMUNICADORES SOCIAIS ESPÍRITAS DE REÚNEM EM BRASÍLIA

Divulgação do conteúdo doutrinário, novas mídias e sua manutenção e direitos autorais foram apresentados no I Seminário de Comunicação Social Espírita do Distrito Federal

“Não adianta divulgar a mensagem espírita sem mudar os próprios maus hábitos”. Foi com essa frase que a assessora de comunicação social da Federação Espírita do Estado de Goiás (FEEGO), Ivana Raisky, chamou a atenção dos mais de 80 participantes do I Seminário de Comunicação Social Espírita do Distrito Federal, realizado neste domingo, dia 6 de junho, em Brasília, pela Federação Espírita do DF.

Ivana Raisky que também é uma das assessoras de comunicação da Federação Espírita Brasileira e a jornalista goiana Rosely Vicente, iniciaram as atividades do Seminário relembrando a importância da comunicação social espírita na história do espiritismo mundial e sua culminância no Brasil com a apresentação de diversas experiências exitosas realizadas por diversas federações espíritas, pela FEB, em especial, ela destacou o trabalho extremamente importante da TV CEI.

Entre os assuntos abordados por Ivana e Rosely, destacamos a coerência entre o que é apresentado a um público – seja ele interno, externo, espírita ou não – e a conduta moral dentro e fora da Casa Espírita. As facilitadoras foram convidadas pela Diretoria de Comunicação Social da Federação Espírita do Distrito Federal (FEDF) e também responderam a diversos questionamentos dos participantes sobre assuntos como direito autoral do uso de fotos, textos e imagens. “Dá um pouco de trabalho, mas não custa nada nos resguardamos e, além do mais, não podemos encarar esses procedimentos como impeditivos ao trabalho”, considerou a jornalista goiana Roseli.

A segunda parte do Seminário foi estruturada para a apresentação de quatro casos de boas práticas em Comunicação Social Espírita em curso no Distrito Federal. O primeiro “case” foi a melhoria da exposição do conteúdo doutrinário em palestras públicas, apresentado pela palestrante Sandra Ventura, trabalhadora do Centro Espírita Irmã Rosália, que utiliza a interpretação de músicas no contexto da palestra. A expositora comentou que a música escolhida complementa a palestra. “O importante não é apresentar o grupo ou o cantor, mas mostrar que o conteúdo doutrinário pode ser transmitido de uma forma diferenciada e atrativa”, considerou Sandra Ventura.

O editor do Jornal Brasília Espírita, André Ribeiro Ferreira, discorreu sobre como o Grêmio Espírita Atualpa Barbosa Lima mantém o periódico, desde 1973. Segundo ele, mensalmente o impresso demanda um custo de R$ 1,3 mil com impressão de dois mil exemplares e mais R$ 800,00 com a distribuição. “Esse valor é custeado pela casa, pois nós percebemos que o Brasília Espírita é tão importante para o Centro Espírita, quanto a própria palestra, tendo em vista a quantidade de pessoas beneficiadas”, explicou André Ribeiro.

O terceiro caso de boa prática está sendo implementada, atualmente, no Grupo Espírita Fraternidade Irmã Celina, localizado na Ceilândia. João Fáveri que é atualmente o Presidente desta Casa, é um dos desenvolvedores do site www.osgefic.org.br, responsável por uma média de 9 mil acessos por mês. “Não é um número grande se compararmos com outros sites, mas por se tratar de uma casa espírita bem pequena, para nós, isso é motivo de comemoração”, explicou João Fáveri.

Além de oferecer conteúdo doutrinário e informativo, como balancetes e notícias, o site do Gefic – sigla do grupo espírita Fraternidade Irmã Celina – também oferece um serviço de perguntas e respostas que, segundo João Fáveri, é um dos maiores atrativos dessa ferramenta da internet. “Nós criamos um espaço onde os internautas podem perguntar o que bem quiserem a uma equipe de trabalhadores que postam as informações logo que são respondidas”, concluiu.

Por fim, uma fórmula econômica e de sucesso foi trazida pela jornalista Janaína Araújo: o Jornal Mural da Comunhão Espírita de Brasília. Segundo a expositora, cada texto apresentado contém no máximo 700 toques que documentam as ações da casa. O Jornal Mural é feito mensalmente e já tem três anos de existência. Suas oito impressões são afixadas em locais de boa circulação, para assegurar sua leitura.

Após a apresentação dessas quatro boas práticas de comunicação social espírita, o público teve a oportunidade de tirar dúvidas, fazendo perguntas aos expositores.

O diretor de Comunicação Social Espírita da FEDF, Jaime Ferreira, avaliou o evento como extremamente satisfatório. “Nossas expectativas de público e de aproveitamento foram superadas ao máximo. A presença da Ivana e da Rosely, ambas da Federação Espírita do Estado de Goiás, estimulou o interesse dos participantes. Estamos saindo daqui muito contentes e motivados a desenvolver com técnica e amor a arte de levar os conhecimentos espíritas a todos de bom coração”, concluiu Jaime Ferreira.

O evento contou com a participação do Presidente e Vice-Presidente da FEDF, César Moutinho e Paulo Maia, que na abertura salientaram a importância do Seminário em razão da necessidade dos dirigentes espíritas se prepararem para adequarem as instituições que coordenam para a nova era da comunicação, em um mundo cada vez mais globalizado, onde as informações circulam o planeta em questão de minutos, através da internet. Os comunicadores espíritas precisam entender que chegou a hora de trabalharmos pela comunicação de massa da doutrina espírita, fazendo chegar a todos esse conhecimento que não pode ficar restrito apenas aos espíritas.

Congresso de CSE do DF - O tema desse seminário foi: “A Importância da Comunicação na Casa Espírita”. Esse evento é uma prévia do I Encontro de Comunicação Social Espírita do Distrito Federal que será realizado entre os dias 3 e 5 de dezembro de 2010, pela FEDF, em Brasília. O Diretor de Comunicação Social Espírita da FEDF informa que para a preparação deste evento serão realizados “Fóruns” com a participação de um representante de cada Casa Espírita e dos presidentes ou representantes dos Conselhos Regionais Distritais - CRD’s. A data do primeiro fórum será posteriormente comunicada a todos com antecedência de no mínimo 15 dias.


Fonte: Boletim Eletrônico da FEB

ENCONTRO NO INTERIOR DO AMAZONAS

A Federação Espírita Amazonense promoveu o II Encontro de Trabalhadores do Interior do Amazonas, no município do Manaquiri, nos dias 3 e 4 de junho, com a atuação do diretor da FEB, Antonio Cesar Perri de Carvalho e de Roberto Versiani, da equipe da Secretaria Geral do Conselho Federativo Nacional da FEB.

A presidente da FEA Sandra Farias de Moraes e outros diretores acompanharam os convidados.

O evento faz parte do Projeto de Interiorização e teve como tema “Vamos construir a casa sobre a rocha”.

O seminário se desenvolveu na Prefeitura Municipal. Compareceram quase 30 trabalhadores, incluindo de cidades próximas.

No dia 3, antes do início do seminário, houve visita e palestra no local de reunião do C.E.Bezerra de Menezes, uma edificação de fibras vegetais trançadas, chamada “chapéu de palha”, bem simples, localizada na periferia da cidade, quase na margem de um rio.

A reunião foi muito pitoresca, iluminada com fogueira, pois ali não há energia elétrica, e, o som de fundo era de sapos e grilos. A viagem de pouco mais de duas horas, a partir de Manaus, foi feita de barco ligeiro.

Informações: www.feamazonas.org.br


Fonte: Boletim Eletrônico da FEB

NOTA DE DESENCARNE

Desencarnou no dia 5 de junho, na cidade do Rio de Janeiro, o ex-presidente da FEB:

Juvanir Borges de Souza

Desempenhou com êxito e admiração a Casa na gestão 1990-2001; foi o 14º presidente da FEB.

Contribui para o entusiasmo edificador da FEB.

Além de aprofundar os grandes esforços na área de infância e juventude, intensificou os estudos do esperanto, assim como a produção e distribuição editorial, e progrediu a compreensão de deveres na fraternidade.


Fonte: Boletim Eletrônico da FEB